Por Maíra Antunes | 21/01/2019 | Perdão
Como encontrei o Perdão dentro de mim


Um homem segurando uma placa com a palavra forgiyeness escrita.

Hoje o assunto é delicado. Um assunto que muitos nem querem saber. É delicado para mim também. Vou falar dele, pois faz um bom tempo que penso em escrever mas faltava coragem, estudo… Eu não sou expert nele, estou longe de ser! Mas venho, cada vez mais, querendo compreender, colocar em prática e sentir o PERDÃO.

 A palavra Perdão no dicionário, diz: 

1. Remissão de culpa, dívida ou pena 

2. Absolvição, indulto 

3. Fórmula que exprime um pedido de desculpas.

Como você lida com o perdão? Você já passou ou passa por uma situação que está te exigindo o perdão, seja para com o outro ou que perdoem você? É uma situação bem delicada, né? Pois para perdoar existe muita coisa envolvida: mágoa, tristeza, decepção, orgulho, arrependimento, medo, repulsa, remorso, culpa, raiva, ansiedade, vingança…

E perceba uma coisa: quando você está de frente com a pessoa do qual você não perdoou ou espera o perdão, você fica alimentando esses sentimentos? Percebe que eles nunca acabam? E percebe também que eles te causam muito mal?

Me desculpe se este assunto está te deixando desconfortável. Não é fácil escrever sobre isso, pois estou relembrando os meus perdões aqui e isso também mexe comigo. Mas eu acredito que se quisermos transformar algo em nossas vidas, precisamos olhar para elas e colocar luz no que nos incomoda, colocar luz em nossa sombra.

Pode não ser hoje, mas algum dia (seja por iniciativa sua ou pela vida), o momento de perdoar chegará, e ele vai doer. Mexer em algo que há muito tempo está “guardado” e sendo alimentado por sentimentos que nos destroem, não é fácil, é dolorido! Mas liberta!

Minha busca pelo Perdão

Estes dias, enfrentei algo que há muito tempo gostaria de ter feito, porém tive coragem apenas agora, em 2018.

O que irei contar aqui, não será algo fácil para mim, nem meus pais sabem disso, então peço a compreensão de vocês, para que não julguem ou alimentem sentimentos que não serão agradáveis para vocês.

A minha primeira relação sexual não foi legal. Agora eu tenho noção de que foi um abuso, pois agora as mulheres estão tendo coragem e se unindo para expor isso. E aí as “fichas foram caindo”. Antes eu achava que a 1ª vez tinha sido traumática, pois tinha algumas dificuldades na relação sexual, mas por falta de informação, suporte, vergonha, não procurei ajuda.

Quando estava na faculdade de Naturologia, na matéria de Aromaterapia, participei de uma atividade onde fiquei 2 semanas cheirando um óleo essencial que escolhi aleatoriamente e deveria perceber seus efeitos, insights. 

Pois bem, tirei um óleo que trabalha traumas. Passados alguns dias sonhei que estava nua, em uma caixa de vidro, e todos os meus amigos da época e o moço estavam me olhando… os detalhes do sonho não lembro mais, mas após este sonho, tive a consciência de que eu precisava trabalhar como me sentia com relação à minha primeira relação sexual.

Por alguns anos fiz psicoterapia, depois tratamento com naturologia e acupuntura. A cada terapia, eu aprendia um pouco mais sobre mim, ressignificando a situação, diminuindo muitos sintomas e dificuldades e passei a me sentir bem e confortável com a situação, com uma sensação de superação. Eu não seria quem eu estou hoje, se isto não tivesse acontecido.

Passado alguns anos, fui me dando conta de que comigo estava tudo resolvido, mas com o homem que cometeu o abuso não. Depois que me mudei para Florianópolis, passado no máximo 1 ano, perdi contato com ele. Em 2016, ele quis ser meu amigo no Facebook, mas eu não queria ser amiga dele, nem saber sobre sua vida, e excluí o convite. Passado um tempo, veio de novo o convite e excluí.

No carnaval do ano passado, participei de um retiro e uma das vivências era para pegar pedras que simbolizassem situações das quais não tínhamos resolvido e esse cara veio na minha cabeça. Achei curioso, pois não estava mais lembrando do ocorrido e peguei uma pedra simbolizando a relação não resolvida com ele. No final, após todos estarem com sua “sacolinha de pedras” a facilitadora disse: “Essas pedras representam as situações das quais necessitam do nosso perdão, é para vocês resolverem ao longo do ano”.

Não tenho palavras pra dizer o que senti, uma mistura de “Putz, e agora?”, com “É! Tá na hora de enfrentar isso”, junto com “Como eu vou fazer?”. Entrei em um leve desespero…

No meio do ano, ele pediu para ser meu amigo novamente no Facebook, e resolvi aceitar. Era uma oportunidade para resolver o que eu tinha combinado no retiro! Puxei papo e para a minha surpresa veio a mensagem: “Quando eu for para Floripa, quero te ver”. Nossa, o sangue subiu, a história inteira veio na cabeça: um mix de ansiedade, com raiva, nojo e não consegui responder nada! Tinha muitas ideias, mas não saia nada.

Este ano, vi um vídeo da Sheylli Caleffi onde ela fala sobre as pessoas que foram vítimas de assédio ou estupro, estavam com dúvida e se questionando do ocorrido, pelo fato da mídia e da sociedade questionar e duvidar das vítimas e o fato de “estarmos acostumados com violência”. Confira o vídeo clicando aqui! 

Esse vídeo mexeu profundamente comigo! Comecei a me questionar e senti um mix de sentimentos de raiva, com vingança, com culpa… Falei para o meu noivo sobre o turbilhão em que eu estava. Ele me acolheu e percebeu que entrei no padrão de culpa, pois eu estava achando que pelo fato de não ter denunciado, eu compactuava com o que fez… Sabiamente, ele me ouviu e falou o que achava e disse: “Leia esse livro – Rossandro Klinjey – As 5 faces do perdão. Para começar, leia direto a 5ª história.”

Novamente, Deus e o Universo me dando a oportunidade de compreender, aprender, ressignificar e principalmente, ME PERDOAR. 

Como eu me Perdoei

Eu sou a favor de, antes que você faz algo pelo outro, faça isso com você. Então para eu perdoar o outro, preciso me perdoar primeiro. E foi o que fiz! 

Gosto de escrever cartas pra mim, pois me auxilia a colocar pra fora o que estou sentindo; e lendo, entendo muito mais a situação! (Sem contar que dá uma grande alívio liberar tudo aquilo da cabeça, ufa! Já experimentou?) Então, escrevi uma carta me perdoando de tudo que aconteceu.

Em um belo dia, ou melhor, na madrugada, acordei e entrei no mundo da “inspiração da madrugada”: comecei a escrever para o moço, falando sobre como eu me sentia e me senti naquele momento, deixando claro o que ele fez. Uau, foi um momento onde realmente me enfrentei! Pois a vontade de parar de escrever foi grande, mas por amor por mim, eu tinha que finalizar aquilo.

Neste mesmo texto, consegui agradecê-lo, pois se não fosse o que ocorreu, eu não teria feito o tanto de terapia e autoconhecimento que fiz (e faço), a compreensão e empatia para poder auxiliar outras mulheres em situações semelhantes, e a ser quem me tornei até hoje. E consegui perdoá-lo (não foi fácil), pois ele teve os motivos conscientes e inconsciente e seus aprendizados. Deixei claro que não queria ter a amizade dele e o deletei. Ao final, me senti aliviada e feliz por finalizar este ciclo, que para mim, até então, estava aberto.

Percebo nas pessoas que tem alguém da qual gostariam de perdoar, sentem receio de fazer, pois acham que perdoando “darão permissão” para a pessoa fazer de novo. Não, definitivamente, isso não é perdão. Você pode perdoar aquela pessoa, mas não querer ela na sua vida. Pode perdoar, mas não precisa conviver com ela. Perdão é muito mais para você ficar em paz com você mesmo perante aquela situação e saber lidar de uma maneira mais produtiva e saudável para você quando estiver em contato com a pessoa.

Esta foi a minha história, a sua, pode passar bem longe dessa, ser muito mais dolorida e difícil de perdoar e você tem todo o direito em não querer perdoar tal pessoa, eu respeito isso. A minha intenção aqui é que você possa ter um outro olhar sobre o perdão e te estimular a conhecer outras visões.

O que escrevi aqui é a minha visão sobre o perdão. Não quer dizer que seja a única, não quer dizer que seja a melhor, apenas é uma visão. E qual é a sua?

Fonte: Portal Guia da Alma

Deixe seu comentário:

Postagens relacionadas

Por Lauren Impraim. | 24/01/2020 | Autocompaixão
A rejeição como redirecionamento: o que ganhamos quando perdemos.

Rejeição dói. Podemos nos perguntar, o que tem de errado comigo? No entanto, a rejeição também tem uma maneira de ensinar-nos, nós redirecionando e finalmente, podem tornar a nossa vida melhor.Eu aprendi a olhar para a rejeição de forma diferente nesses últimos anos. Na verdade, as minhas melhores versões forma em  tempos que eu percebi rejeição. Sim, existem muitas experiências dolorosas, mas, novamente, eu sempre tento ver o aprendizado. Quando eu era jovem, eu enfrentava a rejeição diária. Eu era uma adolescente com sobrepeso com paixões por qualquer rapaz que olhava para mim. Outras crianças constantemente tiravam sarro de mim e nenhum menino se atreveu a me mostrar qualquer interesse. Eu fui intimidada e rejeitada simplesmente por ser eu.Eu experimentei a rejeição em torno de relacionamentos durante o meu crescimento. Houve um período em que eu estava com tanto medo da rejeição que eu me agarrei em amizades e relacionamentos que eu intuitivamente sabia que não eram saudáveis ​​para mim.Sem surpresa, essas relações morreram. Após esse acontecimento eu realmente acreditei que eu sempre seria rejeitado. Foi neste momento em que o sentimento de solidão me afundou, mesmo cercada de pessoas, eu me sentia sozinha.Finalmente, em um lindo dia, a lâmpada acendeu. Estas coisas estavam acontecendo por uma razão, estava tudo programado! Eu comecei a mudar a visão que tinha da rejeição. Eu comecei a vê-la como uma habilidade para reavaliar e tornar-se mais familiarizado com diferentes partes de mim. Em algumas situações, eu era capaz de ver que talvez eu não estava no caminho certo. Minha perspectiva tornou-se mais clara. Todos os trabalhos que não deram certo era porque eu merecia melhores oportunidades. Todo relacionamento que me machucou, me levou para o meu verdadeiro amor. Cada erro que eu cometi me levaram a olhar para dentro. Eu era capaz de aprender, crescer e finalmente fazer alterações. Eu comecei a  agradecer a todas as pessoas, lugares e coisas que me rejeitaram. Mas, deixe-me avisá-lo, essa epifania não aconteceu durante a noite. Lentamente, comecei a mudar a minha percepção e minhas crenças. Eu comecei a olhar para as situações de forma diferente. Eu sei, soa mais fácil dizer do que fazer, mas existem algumas ferramentas que podem ajudar:1. Trate-se de compaixão. Se eu acredito que eu mereço coisas ruins, eu vou começar a atrair coisas que validam essa crença. O que sentimos no interior, manifesta-se do lado de fora.Precisamos trabalhar em responder ao nosso crítico interno com bondade e compaixão. Uma maneira útil de fazer isso é se comunicar com você mesmo como você se comunica com um amigo querido.Quando os meus amigos passaram por rompimentos terríveis, eu sempre dei o meu melhor para lembrá-los que eles são dignos de amor. Ajudei cada um a encontrar a lição naquela situação que estavam vivendo.2. Veja a rejeição como uma oportunidade de sair da zona de conforto.Se nós não experimentarmos a rejeição, provavelmente não vamo correr atrás de muitas mudanças.Eu trabalhei duro para obter uma licença profissional e eu ganhei um não, por existir  uma história que me envolvia. Na época, isso me quebrou. Eu me senti tão envergonhado e com medo. No entanto, isso me fez ver a oportunidade de me auto desafiar e ser honesto comigo mesmo.Essa rejeição me levou para uma vida de recuperação, que constantemente me fazia sair da minha zona de conforto.3. Não deixe que a rejeição defina o que você é. Este é um fracasso, portanto, eu sou o fracasso. É importante separar o que aconteceu com a gente de quem somos.Rejeição não é sempre pessoal. Muitas vezes, quando alguém nos rejeita, não tem nada a ver com falhas de nossa parte. Apenas significa que não era um bom ajuste para essa pessoa, emprego ou oportunidade.Eu trabalhei para estar consciente de meus pensamentos. Eu aprendi que o fracasso era um evento, mas não era eu. 4. Encontre a lição na rejeição.Poderíamos facilmente se concentrar no que perdemos quando nós experimentamos a rejeição, mas é mais útil para nos perguntar: “O que eu ganho?” Desta forma, podemos aprender com a experiência. Com cada experiência, podemos crescer mais forte.Pessoalmente, eu aprendi a olhar para dentro e identificar o que eu preciso para trabalhar. Comecei a ver que eu sou mais capaz de lidar com a perda do que eu acreditava. Aos vinte e cinco anos de idade, eu era divorciada do meu primeiro casamento. Eu estava vivendo o pesar e a vergonha. Eu encontrei-me isolando os outros e ficando sozinha. Eu perdi um relacionamento, uma casa, amizades e previsibilidade. Mas, em retrospectiva, ganhei muito mais.Comecei a ver que eu estava dependente da relação. Eu estava estagnada e não estava mais evoluindo como pessoa. Lentamente, mas com certeza, eu comecei a aprender a depender verdadeiramente de mim mesmo.Ganhei sabedoria sobre limites saudáveis ​​em um relacionamento. Eu, então, aprendi a valorizar amizades verdadeiras. Mais importante ainda, ganhei um relacionamento comigo mesmo. Aprendi a amar a mulher que eu sou incondicionalmente. Nossos pensamentos têm um forte impacto sobre nossas emoções. Nossas emoções, por sua vez, tem um forte impacto sobre nossas decisões e comportamentos. Tradução Livre. Postado em Tiny Buddha Por Lauren Impraim.
Por Mai Pham. | 23/01/2020 | Ajuda
Como parar de correr atrás de uma vida perfeita?

Você já estabeleceu uma meta e se tornou obcecado por ela? Você acreditava que apenas depois de concluir aquela meta você estaria totalmente relaxado e feliz?Eu já fiz isso muitas vezes!Ao longo da minha vida, eu media a minha felicidade pelas minhas conquistas. Eu queria boas notas na escola, depois foquei em ir para uma boa faculdade, em seguida, o foco era conseguir um trabalho que me fizesse ter muito dinheiro. No entanto, mesmo depois de obter todas essas coisas, eu não estava feliz. Depois de conseguir atingir cada um destes objetivos, eles se tornaram comuns. O sentimento de realização não era tão incrível quanto eu achei que seria.Sempre que eu resolvia focar em conseguir algo, eu abandonava várias coisas para conseguir aquilo que desejava. Minhas desculpas sempre foram “Eu não posso descansar agora. Estou ocupado fazendo [x]." "Eu vou fazer isso depois que eu conseguir [x]." "Eu vou me sentir melhor e desfrutar da minha vida apenas depois de atingir  [x]“.Meu [x] constantemente mudava, eu nunca conseguia descansar. Nunca era um bom momento para aproveitar a vida.Mesmo quando eu saía com meu marido para uma aproveitar a noite, eu não conseguia aproveitar o tempo.O sentimento de culpa sempre estava lá para me assombrar, me culpar por estar relaxado e preguiçoso. Só quando eu senti miserável e exausto que eu realmente percebi que algo não estava certo.O problema em mediar a felicidade por realizações.Nos próximos dois dias, eu tentei parar de pensar em como alcançar meus objetivos e coloquei toda a minha atenção em como eu estava me sentindo. Eu tirei um tempo para mim, para que eu conseguisse pensar em minha vida.Eu tinha esquecido o objetivo final da minha vida.Todo mundo quer ser feliz, inclusive eu. Meu objetivo final é desfrutar a minha vida. Mas, com o passar do tempo, eu fiquei adiando a minha felicidade, pois eu trabalhava em direção a outros objetivos de curto prazo.Eu pensei que eu estava no comando da minha vida e da minha felicidade, mas eu não estava. Eu deixei que esses objetivos a curto prazo controlassem a minha vida. Eu tive como resultado…Me afastei dos meus entes queridos. Na minha visão de uma vida feliz, eu sempre estava lá com a minha família, mas a dura verdade era que eu não estava lá com eles.Na verdade, eu cortei cada um da minha vida assim que eles começaram com preocupações em cima da minha vida, pois eu acreditava que eles não entendiam as minhas escolhas.Tudo o que eu queria era que eles sentissem orgulho de mim, mas não era isso que eles queriam. Eles só desejavam a minha presença, não o meus títulos.Uma parte do meu final feliz já estava comigo, mas eu não conseguia ver.Eu machuquei meus próprios sentimentos.Como eu estava ocupado perseguindo a minha vida perfeita, medindo o meu valor por minhas conquistas, eu não gostava de mim mesmo.Quando eu alcançava alguma coisa,  não era o suficiente para se orgulhar. Eu tinha um relacionamento difícil comigo mesmo.Sempre pensei que eu não era suficiente para o meu próprio amor e isso me levava a acreditar que ninguém também me amaria. Eu danifiquei a minha saúde.Porque eu estava tão fixado em alcançar meus objetivos, que eu ignorava o meu corpo quando ele gritava por descanso. Eu pensei que eu só iria merecer descanso quando já não tivesse mais trabalho, quando toda a minha energia desaparecesse. Como eu aprendi a ser feliz com a minha vida imperfeita? Nós todos temos a tendência de comparar nossas vidas com as dos outros. Eu cresci acreditando que a vida é uma corrida e eu teria que ser o cavalo mais rápido.As mídias sociais tornaram isso pior. Vemos outras pessoas bem sucedidas e que anseiam suas realizações. A verdade é que somos pessoas diferentes, temos objetivos e desejos diferentes, mas esses não são os fatores que determinam a nossa felicidade.A felicidade não é o resultado do nosso esforço, ela não pode ser medida por nossas realizações.Para alguns, a felicidade é ouvir a voz de sua mãe no telefone todos os dias ou o olhar do seu marido quando você passa um tempo com ele.Felicidade, provavelmente, pode ser medida pelo riso. No fundo, a felicidade é amor e amor próprio. Aqui estão algumas coisas que eu fiz para descobrir a minha felicidade:Meditação.A meditação me permite recuperar o fôlego e olhar para a minha vida com uma perspectiva totalmente diferente.Eu costumava pensar que eu nunca poderia meditar porque eu não podia ficar parado  sem pensar em algo específico. Mas eu comecei aos poucos, com oito minutos por dia e me surpreendi. Eu finalmente aprendi que a meditação não é sobre  limpar sua mente e pensar em nada. Trata-se de realmente aceitar quem você é e não deixar seus pensamentos selvagens controlá-lo. Isso me ajuda a desconectar os meus pensamentos, para que eu consiga deixar ir todo o caos na minha vida.Foco no presente! Depois que comecei a praticar a meditação, comecei a aceitar o presente mais plenamente. Não foi fácil no início, como minha mente estava sempre vagando, inventando histórias sobre minha vida. Mas, logo consegui estar no presente, eu comecei a realmente viver o momento.Eu já não leio livros por enquanto estou almoçando. Eu já não penso no meu trabalho enquanto cozinho ou tomo uma ducha. Em vez disso, eu tento provar a comida em cada mordida, para ouvir ruídos diferentes que eu faço, para sentir a água morna correr sobre o meu corpo e deixá-lo lavar todo o estresse e ansiedade.Eu nunca me senti tão vivo! Agora reconheço quão bonita e colorida a minha vida é.Escreva em um diário de gratidão. Eu termino meu dia escrevendo no meu diário da gratidão. Parecia bobo no começo, mas escrever todas as coisas bonitas que ilumina a minha vida me faz apreciar ainda mais.Ainda assim, o diário da gratidão me ajuda a afastar as negatividades e me faz sentir a gratidão pelas coisas que eu tenho.Diga afirmações de autoamor.Eu começo meu dia dizendo a mim mesmo o quão bela é a vida e quanto eu me amo. Antes de eu sair da minha cama, eu sorrio e digo a mim mesmo: “Obrigado por mais um dia maravilhoso. Eu te amo."Quando eu coloco meus pés no chão, eu agradeço pela minha existência e digo novamente para mim: "Eu te amo!" Afirmo isso cinquenta vezes por dia, e como resultado, eu comecei a acreditar em mim.“Posso não estar vivendo uma fase perfeita, mas é um dia perfeito para se sentir feliz.”-  Lori DescheneA felicidade está disponível agora, exatamente onde você está.Eu ainda defino metas mas já não organizo minha vida em torno delas. Eu parei de me comparando com os outros. Agora eu percebo o que realmente importa para mim.Eu me coloco no centro e me rendo ao meu coração, minha alma. Eu deixei meu coração me dizer quem eu realmente sou.Mesmo que a vida tem altos e baixos, agora eu sei que todas as emoções são cores diferentes na vida. Compreendo que eu ainda posso senti-las. E eu sei que minha vida não é perfeita, mas hoje é um momento perfeito para se sentir feliz.Tradução Livre. Postado em Tiny Buddha Por Mai Pham.
Por Deborah Perdue. | 22/01/2020 | Valorização
Após anos de dor, a gratidão curou a minha vida!

ATENÇÃO: Este post lida com abuso.Minha vida nem sempre foi fácil. Hoje em dia continua não sendo fácil, mas houve um período muito longo, onde era muito difícil e doloroso. Eu cresci em um lar disfuncional com duas irmãs, meu pai era alcoólatra era fisicamente e verbalmente abusivo. Minha mãe era vítima dos abusos verbais do meu pai. Minha mãe, minhas irmãs e eu sempre fomos muito próximas.Cada vez que meu pai gritava comigo, a cada golpe que ele me deu, um pouco do meu espírito era quebrado.Em vez de ganhar confiança durante o ensino fundamental, para que eu pudesse entrar na adolescência pronta para enfrentar as mudanças hormonais e montanha russa de emoções, eu fui me sentindo incapaz de alcançar qualquer coisa boa. Eu olhava para as minhas irmãs e via beleza. Quando eu me olhava no espelho, eu apenas via falhas.Além disso, eu fiz o que tantas outras crianças fazem: Eu assumi toda a culpa pelo abuso do meu pai, deixei que tudo se acumulasse sobre mim. Eu levei a sério cada palavra dita sobre mim.O fato de meu pai me ver de modo imperfeito e falho, para mim, era verdade. E ser imperfeito e falho significava que eu era indigno de ser amado. A culpa e a vergonha que eu sentia por isso era devastadora, embora na época eu não tinha ideia do porquê eu sentia aquilo.Enquanto outras meninas na escola ficavam mais bonitas, enquanto minhas irmãs cada vez ficavam mais bonitas nos meus olhos, eu me via cada vez menos atraente.Eu percebia as paqueras, os namoros e eu sabia que eu nunca teria essas coisas. Eu nunca iria caber dentro. Eu era diferente. Eu era incapaz.Não há nada como sair de uma casa de tristeza em um dia ensolarado, incapaz de apreciar a beleza da natureza, porque seu coração é tão pesado que você quer morrer. Não há nada como ir à escola e ver o quanto despreocupados seus amigos estão, todos rindo e tendo um grande momento. Eu saí desses anos apenas me sentindo pior. Na minha adolescência eu estava realmente convencida de que eu nunca teria o que as pessoas "normais" têm. Por exemplo: Um homem que se preocupa com você e você planeja um futuro com ele.Eu estava vivendo uma dor emocional e para diminuir a dor, comecei a beber e usar drogas. Eu não estava recorrendo à essas coisas o tempo todo, mas eu estava usando  como ferramentas para me ajudar.Quando eu tinha vinte anos, eu conheci um homem que foi simplesmente maravilhoso, a atenção era incrível. Comecei a me sentir melhor comigo mesmo. Ele me amou! Este foi o momento em que eu me senti amada e despreocupada. Eu nunca havia me sentido daquela forma, era tão diferente que eu a abracei.  Em algum lugar ao longo do caminho, ele começou a ser muito crítico sobre mim, então eu me encontrei em uma situação de abuso verbal, mais uma vez. Por mais difícil que estava sendo, eu tentei agradá-lo. Como passei a minha infância e adolescência tentando agradar meu pai. O pouco do meu espírito que restou foi completamente perdido. Para lidar com o aumento da decepção e raiva por parte do meu marido, passei por períodos de abuso de drogas. Durante outros pontos em nosso casamento, eu decidi viver sem tomar substâncias, mas meu marido me empurrou para acompanhá-lo e para tentar ficar em paz, eu fiz.Mesmo que eu era uma adulta em pleno funcionamento, empregada e inscrita na faculdade, eu passei mais de vinte anos sendo verbalmente abusada, alcoólatra e com o casamento disfuncional. Todas as manhãs eu acordava e dizia a mim mesmo que eu não estava indo beber ou usar algum tipo de droga. Eu sentia uma vergonha tão intensa sobre quem eu era e como eu estava vivendo, era difícil até mesmo pensar. Cansados daquele estilo de vida, finalmente eu e meu marido decidimos parar de beber e usar drogas. Quando isso aconteceu, percebemos que não tínhamos nada em comum. O abuso verbal e emocional continuou. Então, com a idade de quarenta e cinco anos, me mudei para outra propriedade que possuía. Havia muitas incertezas que eu estava enfrentando, mas eu decidi que o universo nos dá a cada um jardim. Cabe a nós plantar coisas bonitas para ver coisas bonitas crescendo. Eu estava incerta sobre quem eu era, o que eu queria fazer e tinha um milhão de perguntas que não puderam ser respondidas. Por insistência de um amigo, que me disse uma vez: “Por que você não tenta ir ao Centro de Vida Espiritual? Eu acho que vai te ajudar.”E então eu fui! Assim que entrei na porta, eu senti como se estivesse em casa. Eu realmente senti algo dentro de mim que ficou tão comovido em um nível emocional que eu chorei.Um alto-falante maravilhoso falou sobre gratidão e desafiou-nos a passar quarenta dias anotando tudo o que nos fazia sentir a gratidão. Um exercício com o intuito de focarmos nas coisas que temos e não nas coisas que estão faltando em nossas vidas. Durante os próximos quarenta dias, eu tentei encontrar algo que me fazia sentir a gratidão. No começo foi difícil. Oh, espere, eu sou grata por não beber e não usar drogas. Eu sou grata por estar fora de um casamento abusivo. Eu ainda estava colocando o meu foco em coisas negativas, no entanto, eu tive que me perguntar se eu estava ou não grata sobre qualquer coisa positiva.Bem, sim, eu estava grata por finalmente ter ouvido meu amigo e fui para o Centro de Vida Espiritual. Fiquei grato pelo meu amigo que me falou sobre isso. Na verdade, eu estava grata por todos os novos amigos que eu tinha feito. Fiquei grata por viver em um lugar que é cercado por uma natureza deslumbrante. Eu estava grata pela natureza!Eu estava lutando para escrever algo, mas quando eu escrevia uma coisa, ela me levava até outra, outra e outra.Às vezes, eu fechava o meu diário e percebia que eu passava trinta minutos escrevendo e parecia que tinha apenas escrito por cinco minutos. Eu amei este exercício que eu fiz ele pela segunda vez. O que aconteceu depois não era nada menos do que surpreendente. Eu me tornei mais interessada no aspecto espiritual da vida e também sobre a confiança! A partir disso, me inscrevi em um Curso em Milagres. Eu estava morrendo de fome por este tipo de informação.Comecei a sair mais. Eu me inscrevi em um monte de aulas na universidade local, a fim de completar meus estudos e obter um diploma. Eu continuei a prática de escrever as coisas pelas quais eu estava grata. Só que naquele momento eu já não demorava cinco, dez ou quinze minutos. Eu já estava chegando com as coisas enquanto eu ainda estava procurando o meu bloco e uma caneta. Em alguns anos eu consegui meu objetivo e realmente estava graduada! Em algum lugar ao longo do caminho, comecei a olhar para a minha imagem no espelho diferente. Pensei: Deborah, você não é tudo de ruim! Na verdade, você é bonita! Você é gentil. Você tem um bom coração. Você é amável!!!Eu conheci um homem maravilhoso e me casei. Eu comecei meu próprio negócio e eu adoro o trabalho que faço.Eu continuei meus estudos e continuei com a prática da gratidão, eu estava a cada dia mais abençoada. Eu me tornei uma médica licenciada em nosso Centro.Eu sou grata pela minha vida anterior, porque a dor me levou para tantos lugares maravilhosos. Meu coração e espírito estão curados e estou empenhada em espalhar a prática diária da gratidão.Isso não significa que a minha vida é perfeita ou que eu não me preocupo ou que estou   ausente dos sentimentos ocasionais de culpa ou vergonha de alguma coisa. A verdade é que, hoje, eu sou capaz de lidar rapidamente com esses sentimentos e colocar meu foco de volta sobre as coisas pelas quais sou grato. Tudo isso fez toda a diferença no meu mundo.Você pode relatar? Só por hoje, escreva algumas coisas pelas quais você se sente grato. Há uma abundância de coisas. Basta olhar para fora da janela, ir para uma caminhada e vai encontrar. Continue fazendo todos os dias, até virar um hábito.Pense em algumas coisas que você sempre quis fazer mas não prosseguiu por causa do medo, vergonha, falta de confiança, etc. Arrisque fazer uma coisa de cada vez. Passos de bebê.Mas e quando os sentimentos voltarem? Se você voltar a se sentir para baixo ou preocupado, abra o seu diário e leia as suas listas. Você vai mover o foco dos negativos para os positivos. Você verá que escrever sobre gratidão vai fazer com que você se sinta mais positiva sobre a sua vida. Como eu vivo uma vida que consiste de gratidão, eu percebo o que cada experiência negativa me ensina/ensinou.Hoje, eu tenho a consciência de que todas as experiências ruins que eu já vivi me ajudaram a se tornar a minha melhor versão! Tradução Livre. Postado em Tiny Buddha Por Deborah Perdue.
Voltar para página inicial do blog



Mais recentes

Por: Emanuelly Spanhol

Coaching

Seja você seu próprio coach!

           O processo ...

27/06/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Amor próprio

10 dicas de como cuidar melhor de si!

Quando falamos sobre cuidar de si mesmo ou sobre o amor próprio, estamos fa...

10/10/2019

Por: Tiny Buddha

Amor próprio

10 maneiras poderosas para praticar o autoamor!

...

11/12/2019

Por: Liana Chiaradia

Autocompaixão

3 dicas para lidar com o Perfeccionismo, por uma perfeccionista!

O perfeccionismo sempre fez parte de mim, mas foi há pouco tempo que o desc...

13/01/2019

Por: Tiny Buddha

Ansiedade

3 ferramentas que podem ajudar a acalmar a sua mente e a ansiedade.

“Eu me comprometo em deixar ir todas as preocupações e ansiedade, a fim ...

19/12/2019

Por: Tiny Buddha

Superação

3 maneiras de lidar com a dor da perda.

“Estar em um caminho espiritual não o impede de enfrentar tempos de escuridão; mas ensina-lhe co...

26/11/2019

Por: Tiny Buddha

Ansiedade

3 maneiras para amenizar a ansiedade.

“Não há espaço suficiente em sua mente tanto para preocupação e fé. ...

21/11/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

3 Práticas para não reviver momentos dolorosos.

“Eu não peço a pessoa fe...

10/10/2019

Por: Daniel Yosaro

Bem-estar

4 dicas de como deixar sua jornada mais leve!

Oi, tudo bem?Bom, o que vou trazer até você não é a verdade absoluta, é...

13/01/2019

Por: Tiny Buddha

Ajuda

40 maneiras de como criar a paz de espírito.

“Tenha a paz de espírito como o seu maior objetivo e organize a sua vida ...

15/01/2020

Por: Tiny Buddha

Ajuda

5 maneiras de acalmar a mente sem meditar.

...

16/12/2019

Por: Ana Thereza Valerio

Autoconhecimento

5 motivos básicos para o autoconhecimento

Autoconhecimento – substantivo masculino – conhecimento de si mesmo, das...

13/01/2019

Por: Tiny Buddha

Ajuda

7 razões para abandonar a zona de conforto.

Imagine comigo por um segundo. Você acorda e cegame...

18/12/2019

Por: Tiny Buddha

Bem-estar

A arte do silêncio pode transformar a sua vida!

“O...

10/12/2019

Por: Pitty Pedack

Consciência

A importância da alimentação na evolução da consciência

Uma alimentação saudável é muito mais que seguir...

13/01/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Autocompaixão

A importância da autocompaixão

Muit...

07/12/2018

Por: Tiny Buddha

Evolução

A lição dos 4 trens: Como lidar com vozes negativas?

“Embeleze seu diálogo int...

15/10/2019

Por: Veet Pramad (Enrique Amorós Azpeitia)

Autoconhecimento

A missão: para que estamos aqui?

Quando falamos em Missão de Vida temos que ter muito cuidado, pois na nossa...

13/01/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Empatia

A prática da empatia.

O ato de não fazer para os outros o que você não ...

16/05/2019

Por: Lauren Impraim.

Autocompaixão

A rejeição como redirecionamento: o que ganhamos quando perdemos.

Rejeição dói. Podemos nos perguntar, o que tem de errado comigo? No entanto, a rejeição ta...

24/01/2020

Por: Aline Venâncio

Superação

A transformação vem da coragem de querer ser melhor!

O sol sempre volta brilhar, isso é um fato! Mas, não sabemos quando e nem ...

13/01/2019

Por: Alecrim Cristal

Superação

Acolha suas emoções

Acolha seu medo. Quanto mais você fugir dele ou fizer “mandinga” para o...

13/01/2019

Por: Guilherme Barcellos Carlos de Souza

Amor

Amor – Seja você seu melhor amante!

Nest...

18/01/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Ansiedade

Ansiedade: Como lidar com ela?

O de...

07/12/2018

Por: Deborah Perdue.

Valorização

Após anos de dor, a gratidão curou a minha vida!

ATENÇÃO: Este post lida com abuso.Minha vida nem sempre foi fácil. Hoje e...

22/01/2020

Por: Tiny Buddha

Evolução

Aprecie cada momento!

“Foco no quão longe você está e no quão longe você tem que ir. Você ...

12/11/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

As pequenas coisas da vida são as que mais importam!

“Não são as montanhas à frente para escalar que te deixam desgastado; é a pedra no sapato.”~...

19/11/2019

Por: Benjamin Fishel

Ansiedade

Como aceitar a ansiedade e fazê-la passar?

Três meses atrás eu tive uma experiência estranha.Não foi estranha por n...

21/01/2020

Por: Tiny Buddha

Medo

Como amenizar o medo de estar sozinho?

“A dor faz você mais fort...

24/10/2019

Por: Daniel Yosaro

Sonhos

Como concretizar seus sonhos vencendo medos e crenças?

Sabe aquele seu projeto, mas que continua engavetado...

18/01/2019

Por: Tiny Buddha

Amor próprio

Como curar a rejeição com o amor próprio?

“Não existe cura mágica. ” ~ Laurie Halse Ande...

28/11/2019

Por: Tiny Buddha

Ajuda

Como encontrar forças para viver quando você só pensa em desistir.

ATENÇÃO: Este post tem referências de pensamentos suicidas. Já se p...

16/01/2020

Por: Maíra Antunes

Perdão

Como encontrei o Perdão dentro de mim

Hoje...

21/01/2019

Por: Liana Chiaradia

Superação

Como eu aprendi a superar o medo

Quem nunca sentiu medo?Um sentimento que nós mesmos construímos ao longo d...

13/01/2019

Por: Andrea Rebouças

Superação

Como eu superei a depressão?

Ao longo dos meus 27 anos eu tive alguns episódios depressivos. Foram difí...

13/01/2019

Por: Paulo Cassiano

Positividade

Como fortalecer o lado bom das coisas?

Como você cria a sua realidade? Você cria pelas suas atitudes, pelos seus ...

13/01/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

Como lidar com a depressão?

“Nenhum sentimento é final.” ~ Rainer Maria RilkeEu lutei contra a depressão durante a maior p...

22/11/2019

Por: Tiny Buddha

Motivação

Como lidar com a espera quando você não sabe o que fazer?

“Esperar não é uma ação vazia." Ching A espera tem uma má reputa...

20/11/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

Como mudar minhas palavras mudou minha vida para melhor?

“Nossas palavras criam o nosso mundo.” ~ Litvin ...

28/10/2019

Por: Tiny Buddha

Amor próprio

Como o amor próprio pode te curar?

“A autocrítica pergunta se você é bom o suficiente, já a autocompaixão pede o que é bom para...

05/12/2019

Por: Tiny Buddha

Bem-estar

Como parar a guerra em sua cabeça e encontrar paz?

“Uma mente em paz não gera guerra.” ~ SófoclesSe nós não tivermos cuidado a nossa mente pode...

12/12/2019

Por: Mai Pham.

Ajuda

Como parar de correr atrás de uma vida perfeita?

Você já estabeleceu uma meta e se tornou obcecado por ela? Você acreditava que apenas depois de c...

23/01/2020

Por: Tiny Buddha

Ajuda

Como parar de se preocupar com o que os outros pensam? Veja 5 mudanças!

“Se preocupe com o que as outras pessoas pensam e você sempre será seu p...

20/01/2020

Por: Tiny Buddha

Perdão

Como perdoar a si mesmo e aos outros?

“Seja rápido para perdoar porque estamos todos andando feridos.” ~ Anon...

13/11/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

Como recuperar a paz e alegria?

“Na corrida de hoje todos nós pensamos muito, procuramos muito, queremos ...

09/10/2019

Por: Tiny Buddha

Autoconhecimento

Como se livrar de pensamentos negativos?

“Não há nada mais importante para o crescimento do que perceber que voc...

14/01/2020

Por: Tiny Buddha

Ajuda

Como sintonizar o interior crítico e desfrutar mais da vida?

“Tenha cuidado com o que você fala para si mesmo. Lembre-se que você está ouvindo.” ~ Lisa M....

09/12/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

Como superar o fim de um relacionamento?

“Quando as pessoas erradas deixam a sua vida, as coisas certas começam a acontecer.” ~ Zig Zigl...

29/11/2019

Por: Tiny Buddha

Propósito

Como viver sem propósito?

“Um bom viajante não tem ...

14/10/2019

Por: Tiny Buddha

Ajuda

Concentre-se no que você tem, não no que está faltando.

Recentemente uma amiga me contou uma história sobre quando tinha sete anos de idade e foi para o ci...

27/11/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Propósito

Conecte-se com o seu propósito.

Durante algumas etapas da no...

10/06/2019

Por: Cássia Corsatto

Consciência

Crescer e mudar de pele: ampliando a consciência!

Para falar de ampliação de...

18/01/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

Deixe o passado no passado!

“Concentre-se no que impor...

17/12/2019

Por: Tiny Buddha

Superação

Depressão e Ansiedade: Como diminuir a dor?

“Estou dobrado, mas não q...

17/10/2019

Por: Leni Gama Garcia

Ajuda

Desacelere: 15 dicas de gestão do tempo para viver mais leve!

O tempo está passando mais rápido? Esta é uma per...

18/01/2019

Por: Cássia Corsatto

Sonhos

Desencaixotando os Sonhos

Olá você! Você mesmo.. qu...

18/01/2019

Por: Cássia Corsatto

Consciência

Desperte: A consciência é a resposta!

Os aprendizados com minhas experiências de atendime...

18/01/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

Diga não para os outros e sim para você!

“Quando você diz sim para os outros, certifique-se que você não está d...

31/10/2019

Por: Tiny Buddha

Amor

Entendimento é amor (e o mundo precisa de mais amor).

“O entendimento é outro nome do amor. Se você n...

11/10/2019

Por: Mathias Luz

Ética

Ética: consequência da Inteligência Emocional?

Conversar sobre ética pode ser algo bem complexo. I...

18/01/2019

Por: Tiny Buddha

Ajuda

Eu mereço!

Quando eu estava crescendo, meus pais nunca falaram ...

02/12/2019

Por: Patricia Marguê Cana Verde Silva

Autoconhecimento

Eu Uníssono

Uma identidade fragmentada e...

13/01/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Inteligência Emocional

Inteligência Emocional: Entendendo Emoções

Todos sabemos que somos feit...

28/08/2019

Por: Veet Pramad (Enrique Amorós Azpeitia)

Autocompaixão

Karma: o caminho da Evolução

O conceito de karma nasce em uma das sociedades mais...

13/01/2019

Por: Tiny Buddha

Ajuda

Kit de primeiros socorros para quando a vida desmorona

“E se a dor for como o amor? Apenas um lugar que as pessoas possam visitar?” ~ Glennon Doyle&nbs...

13/12/2019

Por: Vasco Oliveira

Respeito

Liberdade e respeito: deixando o outro ser ele mesmo!

“Querias ser livre. Para essa liberdade, só há u...

18/01/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

Liberte-se de problemas e hábitos!

“Desapegar é liberdade e a liberdade é a única condição para a felicidade. Se em nosso coraç...

03/12/2019

Por: Rodrigo Roncaglio

Autoconhecimento

Meditação - a conexão com o Eu interior.

Falar de meditação é começar uma conversa de horas e horas…  talv...

13/01/2019

Por: Tiny Buddha

Positividade

Não importa o que a vida levar embora, você ainda tem tudo que precisa.

Em 21 de fevereiro de 2009, eu recebi um telefonema que mudou totalmente a m...

25/11/2019

Por: Patricia Cana Verde

Amor

Núcleo do amor

Deformados pela construção...

18/01/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Diálogo

O alívio de praticar o diálogo.

Passamos por muitas situações todos os dias, o que...

05/04/2019

Por: Tiny Buddha

Amor

O amor pode curar tudo!

“O que acontece quando as pessoas abrem seus corações? Eles ficam melhor...

30/10/2019

Por: Liana Chiaradia

Autoconhecimento

O caminho da autocura através das emoções!

Como você passou os últimos meses da sua vida?Ocupado, trabalhando e senti...

13/01/2019

Por: Veet Pramad (Enrique Amorós Azpeitia)

Autoconhecimento

O Destino é o retorno da inconsciência

Sempre escutamos que o destino está escrito como se fosse algo permanente, ...

13/01/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Bem-estar

O equilíbrio entre o corpo, mente e espírito!

É i...

29/08/2019

Por: Jay Reiss

Ajuda

O papel da ajuda

“Você é psiquiatra?”, me perguntou uma senhora...

18/01/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Positividade

O poder da lei da atração

...

07/12/2018

Por: Mathias Luiz

Evolução

O Poder do Agora

Eu decidi ler o livro “O poder do Agora” por recomendação da minha mã...

13/01/2019

Por: Dayane Oliveira

Consciência

O que é o despertar da consciência?

Eu e você estamos aqui no planeta Terra, somos seres humanos, criaturas for...

13/01/2019

Por: Tiny Buddha

Insuficiência

O que fazer quando o pensamento de insuficiência intimidar?

“Você é forte quando sab...

23/10/2019

Por: Tiny Buddha

Estresse

O que fazer quando você está estressado no trabalho?

“A vida é 10% o que acontece com você e  90% como você reage a iss...

01/11/2019

Por: Tiny Buddha

Ajuda

O que fazer quando você se sente emocionalmente preso?

Eu sempre fui uma pessoa impaciente e ansiosa. A parte chata é que eu nunca soube o porquê de...

04/12/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Motivação

Onde encontrar motivação?

&nbs...

13/03/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

Pare de dizer que está bem quando na verdade não está!

“Eu prefiro ser uma pessoa autêntica e decepcionar algumas pessoas do que...

14/11/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

Pensamento Positivo: Como encontrar a paz?

“Olhares de amor e alegria ou breves momentos de paz profunda são possív...

25/10/2019

Por: Tiny Buddha

Autoconhecimento

Pessoas que nos ferem contribuem para o nosso crescimento. Leia como!

“Você só vê nos outros o que você tem em si me...

21/10/2019

Por: Tiny Buddha

Positividade

Por que praticar a gratidão?

“Se você não tem nada para ser grato, verifique seu pulso.” Autor Desc...

05/11/2019

Por: Guia da Alma

Propósito

Propósito de vida: o questionamento

O que move o indivíduo ao autoconhecimento? Neste artigo são abordados tem...

08/10/2019

Por: Emanuelly Spanhol

Psicologia Positiva

Psicologia Positiva: Modelo Perma

A psicologia positiva traz a...

29/08/2019

Por: Tiny Buddha

Meditação

Qual o efeito de meditar dois minutos por dia?

“Sorria, respire e vá devagar.” ~ Thich Nhat Ha...

22/10/2019

Por: Tiny Buddha

Relacionamentos

Saiba como estar de bem consigo mesmo fortalece os seus relacionamentos!

“Através das nossas conexões com os outros podem...

17/01/2020

Por: Flavio Notaroberto

Consciência

Sensação, Consciência, Autoconsciência

Há uma interessante relaç...

18/01/2019

Por: Elisa Frana

Espiritualidade

Somos cria(dores) em expansão

Inconscientemente, a mente c...

18/01/2019

Por: Fabio R. Boni

Evolução

Somos Energia?

Muito mais do que termos energia, eu diria com toda certeza para você, que ...

13/01/2019

Por: Patricia Cana Verde

Autoconhecimento

Um olhar para si mesmo

“Olhar para si” é a questão central do autocon...

13/01/2019

Por: Maíra Antunes

Valorização

Valorização da vida: Informação é a melhor prevenção!

 Hoje eu gostaria de fa...

21/01/2019

Por: Tiny Buddha

Amor próprio

Você é suficiente!

“Você é o suficiente! Você não precisa provar nada pra ninguém.”~ M...

06/12/2019

Por: Tiny Buddha

Autoconhecimento

Você pode mudar o mundo!

“Seja a mudança que você...

07/11/2019

Por: Tiny Buddha

Evolução

Você tem o poder de escolher!

“Se somos pacíficos e estamos felizes, podemos sorrir e todos em nossa vo...

29/10/2019



Parceiros:

Copyright 2019 - Eyhe - Todos os direitos reservados - (46) 2604 0687
logotipo


Entre em sua conta :)

Primeira vez por aqui?

Se preferir, clique aqui para iniciar uma conta exclusiva Eyhe.